Meu bairro, minha vida

16 de agosto de 2012, por , Postado em Clipping, 0 Comentários

São válidos os elogios ao “Programa Minha Casa Minha Vida”, que visa atender as necessidades habitacionais das camadas mais pobres no Brasil. Mas já que o Governo Federal se dispôs a não economizar neste investimento, alimentando a vontade dos empreendedores em participar do mega projeto, está na hora de reavaliar algumas questões. A qualificação do espaço urbano é uma delas. Especialmente nos grandes empreendimentos com porte de bairro, localizados distante das áreas de comércio, serviços e outras infraestruturas, essenciais para se evitar os deslocamentos da população carente. É imprescindível que todas as condições urbanas sejam consideradas.

Um bom estudo de geoeconômica seria capaz de analisar a demanda e a vocação de uma região, gerando políticas que dinamizam os usos e as funções para o novo empreendimento. Esse programa deve ser encarado como um projeto urbano, e não apenas uma meta para muitas edificações. Mais do que ocupar um espaço físico com casas ou apartamentos, é preciso pensar nas demais facilidades urbanas que darão suporte, qualidade e dignidade à população que irá habitar, trabalhar e se divertir no seu novo endereço.

Leandro Jubilato é sócio da IXR Property Advisory.
(artigo publicado no InfoZAP, ano 01, edição 02, mai/2012)